segunda-feira, fevereiro 02, 2009

Turismo na neve tudo mais

A Caroli Kyrka fica na Östergatan

Hoje acordei com uma surpresa. Vou ter que me mudar. Fiquei meio chateada, pois fechei esse “contrato” em novembro do ano passado. Não esperava realmente uma mudança de planos, que provavelmente vai encarecer minha estada aqui, já que meu aluguel é extremamente barato. Mas é claro que essa situação é contornável. Tenho três semanas pra escolher um lugar legal e viável.

Já peguei algumas manhas da cidade, como média de preços e onde posso acessar a net grátis. Não to correndo o risco de pagar um preço acima do normal e não preciso gastar pra estar conectada. Fora isso, a senhorita Laís Leal, a quem recorro toda vez que o bicho pega (por MSN, é bem verdade), me deu umas dicas de novos locais pra viver. Laís fez o mesmo intercâmbio que eu, pela FIB, e agora está tentando uma universidade lá em Londres.

Umas das vias para o parque onde Dorian Gray caçava nas férias

(ele morava em Londres)


Domingo, quando olhei pela janela, NEVE. Estou curtindo falar toda hora disso. Parem de me criticar. Nunca tinha visto mesmo, e daí? Dois graus negativos na região. Ventos de 35km/h Leste e uma umidade de 87%. Os floquinhos super pequenos, parecendo chuvisquinho, mas bem de perto, carocinhos de gelo. Tipo dos congeladores (frost free não vale). A grama toda branquinha e os telhados idem. Little Snow por aqui.

Resolvi sair, fazer turismo. O dia tava muito claro, diferente dos demais. Logo na parada do ônibus, quatro mocinhas e um rapaz, falando Inglês, chegaram. Quando o ônibus apareceu, todos correram pra porta e eu fiquei por último. No frio à vera, educação às favas. Ditado aqui.

Na ‘fila’, a última menina pediu desculpas pela pressa dos amigos, ja que eu cheguei primeiro. No ploblem, no problem. Ela também elogiou meu sobretudo. Emendei que comprei no meu país, sou brasileira. I Love Brazil! Você conhece o Brasil? Sim, já estive lá beeem perto, no Chile. Ãh???? Deixa pra lá, viu!? Melhor não comentar.

No passeio, fiquei rodando de ônibus, tirando fotos, descendo e subindo. Chamando a atenção dos locais, que não se conformavam com minha agitação. Quase deito no chão por uma foto. O resultado foi: se tivesse deitado, sairia melhor. Depois de três horas, voltei pra casa. Resolvi curtir o frio debaixo das cobertas e estudar para o Quiz de hoje, que não aconteceu (blá).

P.S.: Não posso ‘me esquecer de lembrar’ do Dia de Iemanjá, 2 de fevereiro, aniversário da minha querida e inesquecível, amada professora de música Nathércia. Congratulations. Vim pra cá sem me despedir. Ô... dor no peito.

Nenhum comentário: